10 março 2006

PROZAC


Eu prometi pra mim mesma aqui neste blog que não iria postar nada mais sobre “assuntos do coração”, que eu iria dar um tempo, mas não tem jeito. Eu nunca fui muito boa com promessas mesmo. E nunca me dei bem com regras, nem quando tento criar regras pra mim mesma. Essa coisa de padrão de comportamento, padrão de beleza, padrão disso e daquilo só serve pra frustrar aqueles que não se encaixam nos tais “padrões”.

Quem teve a infame idéia de determinar o que é certo pra vida das pessoas como se todo mundo tivesse que ser igual? “Tias velhas” que te perguntam toda semana porque você não tem um namorado sem cogitar a hipótese de que você não está namorando porque não aceita qualquer coisa e não vai pegar o primeiro “mala” que aparecer na sua frente com promessas idiotas. Quem foi que inventou que a gente tem uma idade pra casar? E que tem alguma coisa errada com a pessoa porque ela se aproxima dos 30 anos e não se casou ainda. Quem é o fiscal do tempo? Por que alguém não pode se casar com 40 anos? Acho estranho como as pessoas têm essa mania incontrolável de querer fiscalizar a vida das outras, ditando regras e criando padrões.

O resultado disso? Pessoas frustradas. Todas. Pessoas que fazem o que querem, mas se perguntam se deveriam fazer como manda a regra. Pessoas que seguem as regras, mas percebem que, no fundo, deveriam fazer o que elas realmente gostariam de fazer. Casamentos frustrados. Mulheres que se casam antes que fiquem “velhas demais” pra se casar. Homens que se casam porque empurraram um namoro com a barriga por sete anos (e agora a barriga está tão grande que ele se vê lerdo, prostrado diante da TV assistindo Faustão domingo à tarde enquanto a namorada passa creme de pepino na cara e faz chapinha no cabelo).

Você tem que ter 1,80m, pesar 50 quilos, ser loira, linda e difícil. Tomar a iniciativa? Jamais. Ter 31 anos e namorar um bonitão de 19? Tá louca! A menos que você seja a Ivete Sangalo... e mesmo assim, vai ter que agüentar as capas de jornais e revistas de todo o país divulgando o “mico”.

Namore caras mais velhos, ricos e independentes. Case-se antes dos 30. Seja linda. Independente. Ganhe bem - mesmo que todo seu dinheiro seja torrado em bolsas Louis Vuitton e sapatos Prada. Tenha um cachorro de bolsa. Sorria quando quiser chorar. Tome remédios pra dormir. Tenha o Prozac como seu melhor amigo. E, se sobreviver a tudo isso, me conte depois. Vou querer estar aqui pra saber.

16 comentários:

Aninha disse...

E eu tb! Rs!!!
Ah se existisse fórmula pra felicidade, a gente teria menos trabalho né não Brenoca?

Bjs

Lucas Marge disse...

E assim a vida vai continuando.
Ninguém pode dizer oque é certo e oque é errado. Ser politicamente correto hj não tá com nada. Faça sua vida, mude seus rumos, ganhe mais, invista em você. O certo é que vc sendo vc, vc nunca vai se arrepender de não ter sido vc!!! Tempo, ele existe neh? Mais vivo como se ele não existisse, se ñ deu hoje, deixa pra amanhã. Nossa, tenho 24 anos e até hj naum me formei, me formarei com 27. A família diz que já vou estar velho. "VELHO"? a vida começa a cada dia, o tempo recomeça a cada dia. Eu vivo mais, sonho mais, namoro mais, bjo mais, curto mais. Brena, acredite de verdade que DEUS existe no seu coração, ele é o Senhor do tempo, o Senhor da vida. Faça sempre o certo, não importa qual assunto, faça o certo. E no mais: VAMO QUE VAMO QUE O SOM NÃO PODE PARAR!!!! O QUE EU MAIS QUERO É VER VC NO PRÓXIMO SHOW!!!!

vanessa disse...

Primeiro, realmente eu não me importaria se fosse o porteiro do predio ao lado, é verdade é porque a gente gosta. Meleka.

E seu texto, mais que perfeito, perfeitissimo. A gente casa, ai se não bastasse ter feito isso, vem alguem e cobra os filhos, ai nasce no primeiro e 2 meses depois ou ainda antes te perguntam quando vem o proximo? E depois, ah depois vem nossa seu filho ou filha já namora, vai casar quando? Olha o ciclo ai de novo.

Eu odeio essas regras, serão que um dia elas vão acabar? Sei não, tomara que sim, tomara que para o bme da futura humanidade ela acabe , porque senão haja prozac ou eu garanto ninguem sobrevive vivendo assim, pelo menos eu não.

Beijus minha linda e tenha um otimo final de semana

Déborah Tolentino disse...

É Brena... No mundo de tantas pessoas iguais, ser diferente é quase um crime, pecado capital...
Até ser feliz parece contra o natural!
Repito aqui o que disse no blog da Fê Mello: os meus Tenho-que-ir, e tenho-que-fazer são minha eterna busca pela felicidade e pelas minhas verdades...
Mil bjossssss

Daniela Mann disse...

Ai como eu me identifico consigo! Se um dia for até ao meu blog vai ver o que quero dizer!
Um abraço,
Daniela.

Anônimo disse...

Amiga isso é fato!!!!
Hoje em dia ta difícil ser uma mulher independente e que naum se preocupe com regras ou as siga rsrsrs
Hoje a viver a nossa própria vida é difícil mas, temos que continuar vivendo e de prefer~encia sendo nós mesmas.

janine disse...

Figura...torço pelo sucesso do seu blog, quanto mais gente tiver falando desse tipo de sentimento, desse tipo de situação social atual, mais gente vai refletir sobre o assunto e questionar as regras estabelecidas, em busca de um auto-conhecimento, busca de si mesmo....o que tem faltado muito nos dias de hoje. Essa alienação é que gera a insatisfação, frustração....e a gente acaba passando essa frustração pras outras coisas (meu carro ta precisando trocar, minhas roupas tão fora de moda....) e outras pessoas (meu pai é ignorante, meu chefe é autoritário, meus amigos são trairas...) e assim por diante, construindo uma vida de insatisfações e frustrações. Se conhecendo a gente se respeita, se valoriza e as críticas da vida passam a ser estímulos pra crescer e não motivos de infelicidade. Boa sorte e sucesso!

Gissa disse...

Bre,
Q orgulho de ler essa coisa e saber q isso tudo são coisas q vc consegue exteriorizar da sua pessoa, dos seus pensamentos e muito rico por sinal! Tá de parabéns! Sucesso próspero!!!
Consigo ver isso claramente!
Prossiga my mió friend!

Daniela Mann disse...

Brena, venho retribuir sua visita!
Foi muito gentil!
Hoje lancei um post sobre os relacionamentos à distância e gostaria de conhecer a sua opinião sobre este assunto!
Um abraço,
Daniela.

Gissa disse...

Agora virou hábito, vício... entro na net e já é automático... passo por aki pra ver as novidades do seu blog. Amiga, sucesso total!!!
Orgulho!!!
Bjss pra vc e bom fim de semana! Não deixe de escrever mais, sempre mais....

Bruna disse...

ameeeeei seu texto!
o que importa é ser feliz e se sentir bem!
posso te linkar no meu blog?
bjss
=*

Laura Pantaleao disse...

é isso aí colega blogueira profissional! tô contigo e não abro!
mas olha só - essa sua descriçao da mulher ideal e perfeita realmente é tudo o que a mídia nos impõe, mas você conhece uma única mulher que corresponda a esse padrão na vida real? eu,com certeza, não! temos que enxergar que, se as mulheres "da mídia" são tão distantes da gente, na vida real elas são muito mais próximas. pense em qualquer colega sua e vai ver que todas elas têm seus defeitos e que ninguém tem a vida tão definida assim (pelo contrário!). estamos todas no mesmo barco, e as águas são turbulentas. mas já que estamos aqui, vamos curtir o passeio e tirar dele o melhor possível. e esse negócio de casamento não deveria ter a menor importancia (a menos que você queira que tenha). veja meu caso - casei super apaixonada e aos 30 já estava divorciada. sofri pra caramba, mas hoje fico feliz de ter admitido que nao dava mais e estou curtindo muito estar de volta ao velho "barco"...

joão alguém disse...

Esqueça as expectativas. Torne-se sua própria realidade.

Loirinha disse...

Adorei o que vc escreveu!!!!
Vc tá certa!!!! Cada um tem um tempo, não se pode se entregar ao primeiro idiota que vê na frente só para não ficar só!!!!!
Eu acho que encontrei a pessoa certa agora com 22 anos, mas antes disso passei por muitas sotuações ruins com muitos canalhas... Então a gente tem que escolher muito bem e escolher certo!!!!!
Muito engraçada a parte que vc fala das tias que ficam perguntando porq vc não tem namorado!!! Sempre aconteceu isso comigo!!!!
Bjos!!!

Gissa disse...

Brenaaaa, tornou-se um vício, conectar e passar por aki..
Resolvi deixar um oi registrado, fomar de te prestigiar! Tenha uma ótima semana... Espero que vc continue postando, pois eu vou continuar passando por aki!
Bjsss, amiga!

Augusto Galery disse...

Nossa! Que sincronicidade... Eu, no post de cima, condenando as coisas preto e brancas e vc, no post abaixo, que eu ainda não tinha visto, defendendo o arco-íris!
Pra mim, é mesmo o que eu disse: cada vez mais, temos possibilidades múltiplas na vida. Essa coisa de "ou isso ou aquilo" acabou! Vive la diference! Viva o fazer diferente!
PS: Apesar do que, o livro "Ou isso ou aquilo", da Cecília Meirelles, é fofo... :)
Beijo,

Gu do Angu