23 agosto 2006

VOU TE DAR UM CONSELHO


A gente tem uma mania estranha. Todo mundo tem. A mania de pedir e de dar conselhos. E lá alguém é capacitado pra dar conselho pra vida de alguém? Como se fosse um mestre espiritual. Um Dalai Lama. Quiçá fosse. Nem assim. Nem assim estamos aptos a dar conselhos pra vida de quem quer que seja. Ainda que pro bem da pessoa que recebe o tão “estimado” conselho.

Tenho pensado muito nisso ultimamente. Especialmente porque estou tentando me adaptar à nova vida que escolhi pra mim. E essa nova vida se chama: minha vida é um livro fechado. Com cadeado. E protegido por senha alfa e código de segurança máxima. Não está sendo fácil. Até mesmo porque sempre fui muito transparente. Mas, agora, parei de contar minha vida e pedir conselhos. Não me interessam mais. Da minha vida, sei eu. Porque, se no final, der tudo errado, quem tem que arcar com o estrago sou eu mesma.

As pessoas pensam que conhecem as outras. Mas, na verdade, o que elas fazem, a todo tempo, é julgar umas às outras. Ainda que inconscientemente. O fato é que estamos 24 horas sob julgamento alheio. Seja dos nossos amigos, dos nossos colegas de trabalho, dos nossos ficantes, da nossa família, da atendente da padaria ao lado. As pessoas nos julgam o tempo todo. Nos julgam pela marca da roupa que nós vestimos. Pelo carro que a gente dirige. Pelo tom da voz que a gente fala ao telefone. Pelo modelo do aparelho de celular que carregamos na bolsa. Pela bolsa. Pela empresa onde trabalhamos. Pelo cargo que ocupamos. Pelo nosso corpo. Pela cor da nossa pele. Pelo nosso sexo. Pela nossa idade. E por uma outra infinidade de coisas que não significam nada no final das contas.

Eu mesma conheço muita gente que anda de carro do ano (pago em sei lá quantas milhares de prestações) e mal tem dinheiro pra pagar as contas no final do mês. Conheço gente que ganha salário mínimo e usa calça Diesel. Conheço gente que tem o celular mais caro do mercado e não tem dinheiro pra manter uma linha telefônica. Conheço gente que fala manso e é pilantra. Conheço gente que fala alto e é um doce. Conheço gente nova que já viveu pra vida inteira. Conheço gente velha que ainda tem muito o que viver. Conheço mulheres que trabalham feito homens. E homens que não encaram uma barata no chão da cozinha (conheço inclusive homens que não encaram nada, mas isso é uma outra história). Portanto, vamos viver mais e julgar menos. Viver mais a nossa vida e nos preocupar menos com a dos outros. Vamos parar de colocar rótulo em tudo. De comprar o produto pela embalagem. De achar que sabemos de antemão quem é a pessoa com quem estamos tratando. Nunca sabemos. Nem nunca saberemos.

Então, por favor: não me dê conselhos. Tudo que você conhece de mim é a embalagem. Você não sabe o que vai aqui dentro. Não sabe o que eu já vivi. E, mesmo que eu te contasse, você nunca saberia, porque nunca sentiu por mim. Você não sabe o quanto eu gosto (ou não) daquele cara que você acha idiota. Então, não venha me dizer que ele não presta. Quem tem que saber disso sou eu. Quem sabe o tanto que é bom quando eu estou com ele sou eu. Não venha me dizer que fulano ou beltrano são os caras ideais pra mim. Porque, por incrível que possa parecer, eu não acho a mínima graça neles. Não venha me dizer se eu devo trabalhar mais ou trabalhar menos. Gastar mais ou gastar menos. Beber mais ou beber menos. Sair mais ou sair menos. Comer mais ou comer menos. Comer carne ou não. Comer comida japonesa ou não. Ir pra festa X ou Y. Não me julgue pelo que eu faço, pelos lugares que eu freqüento ou pelas pessoas com quem eu me relaciono. Antes de me telefonar pra dar conselhos sobre quem “presta” ou “não presta” pra mim, preste mais atenção na sua própria vida. Se quer um conselho, não vou te dar. Acho que você deveria fazer o mesmo. Apenas acho.


“Conselho é aquilo que pedimos quando já sabemos a resposta, mas gostaríamos que não fosse aquela.”

46 comentários:

disse...

Nossa caiu meu queixo pra esse texto viu Brena!
Lí uma, duas, três vezes e continuo achando que ele está perfeito, carregado de sentimentos e de verdades.
Beijos pra vc

Luiza Lisboa disse...

O conselho que te dou sobre esse texto... huahuahuahua...
Como diz Pedro Bial, "Conselho é uma forma de nostalgia".
Uma psicóloga me falou que quando julgamos alguém, não acertamos nem 2%!
Quando alguém me pede opinião, ajudo a analisar os fatos, falo o que eu faria, mas sempre termino com "você que sabe!"
Adorei o texto e sua nova escolha de vida. Nada melhor que viver um pouco na prática, chega de teoria!
Último conselho que te dou: Tenha paciência com quem dá conselhos.
Rsrsrsss...
Bjoooooooooos***

janine disse...

Ah figura, suas palavras conseguiram fazer de algo tão corriqueiro e difícil de entender, em algo sutil e de fácil apreensão!
Bjs e continue nessa.....ta muito legal seu blog.

pam disse...

Eu saio falando da minha vida por aí, também acho que não deveria. Mas parece que é mais forte que eu. Tenho que dar um jeito e parar com isso!

Dani Morreale disse...

Amigaaaaaaaaaaaaaa,

Só tenho uma coisa pra te pedir depois que li:

Me dá um conselho?

Como faço pra me proteger de tantos receios, de apelos, de apontamentos?

kkkkkkkkkkkkkkkk, amiga infinito.

Te adoro infinito,
só isso.

Beijos gataaaaaa

Gissa disse...

Uh!
Texto novo!
Pra variar, mandando ótimamente bem! :)))
Bjkas amiga!
Sucessoo e mais sucesso!

Rodrigo "Kiko" Torres disse...

Brenuska,
Adoro sua verve. Palavras metralhadas, pensamentos galopantes e vida ardente.
Não sei porque, quando te leio, me dá vontade de te dar conselhos... mas não é porque te julgo, mas porque te gosto.
Alias, não julgo ninguém.
Não tomo vinho em copo de plástico, mas tomo cachaça em copo de massa de tomate.
Será que te conheço ou é só a embalagem? Sei lá. Só sei que gosto muito.

Beijão,
Kiko

Rodrigo "Kiko" Torres disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Leonardo Félix de Souza disse...

The rene´´sssssss vc é simplismente maravilhosaaaaaaa...
Eu estou deslumbrado com esse texto aí que vc colocou......
Vc está mais que coberta de razão sobre , ´´não dê palpites da minha vida, quem sabe da minha vida sou eu, se eu faço aquilo que me der na telha , se é ou não é a coisa CERTA, isso só diz respeito a mim e mais niguém..... E mais adorei isso ; ´´conselho é aquilo que pedimos quando já sabemos a resposta, mais gostaríamos que não fosse aquela´´

PUTSSSSSSSSSS.....
VC FALOU E DISSE !!!!

SOU SE FÃ.....
TE AMO INFINITO THE RENE´SSSSS!!!

BEIJOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

Nanda disse...

Oi!!! Eu nem posso falar muito sobre isso, porque as pessoas vivem me procurando pra desabafar, conversar e... pedir conselhos...rs - Não sei nemcuidar de mim direito, mas tento ajudar; coisas de dupla libriana. Beijos.

Rebeca disse...

palavras muito sábias!
a última frase é perfeita!
o triste de tudo isso é que vivemos em função dessa vida que achamos ter!
beijos

Laura Pantaleao disse...

ei brena!
acabei de criar o blog e, além do mais, tô viajando, entao nao divulguei ele ainda para quase ninguém.
agora que voce ja conhece o caminho, volte sempre!
bjo

Déborah Tolentino disse...

Sabe o que eu acho? Que as pessoas se metem in our bussiness pq a gente deixa. E pára de deixar quando algum motivo isso começa a machucar, a atrapalhar demais. e vale pro outro lado tb. a gente deixa de se meter na vida dos outros quando isso nos atrapalha. Falo desse assunto com tranquilidade pq já tive uma experiencia pra vida toda. Não entre nos relacionamentos dos outros, pra nao entrarem no seu... E dê conselhos só qdo te pedirem, qdo seu amigo sentir q precisa de vc, mesmo q seja só pra confirmar as coisas q ele já sabe. o nosso problema (nao meu e seu...) é não prestar atenção no nosso coração, não escutar o valioso conselho que se chama "sexto sentido"...
inté dórote!

Joao Guandalini disse...

Eu sou meio avesso a conselho, porem é meio dificil viver sem eles... O triste é quando o conselheiro quer falar nas entrelinhas manifestando alguma richa, briguinha, inveja... Falar nas entrelinhas tem que ser pro bem! Saludos!

Aninha disse...

Concordo em gênero, número e grau.
Embora admita já ter dado conselhos sem ser requisitada, mas se o fiz , foi por gostar demais ... e já recebi tb...mutos, e quem disse que os segui???
É isso, ninguém vive pra gente.
O que a gente leva da vida, é a vida que a gente leva...e se for pra chorar, chorese for pra sorrir, sorria...mas viva tudo intensamente!
E que se dane os conselhos, queremos é ser felizes né amiga!
bjo graaaaaaaaaande fofa!
Aninha

Natty disse...

Eis o cliche: se conselho fosse bom a gente vendia!

Mas..as vezes é inevitável..ou quem sabe até conveniente tanto para quem recebe quanto para quem dá o conselho...

Deus deu a vida pra cada um cuidar da sua naum eh mesmo?!
vc tah coberta de razão..vida nova é sempre bom..estamos no mesmo barco..também estou em fase de adaptações..ainda naum me acostumei com tantos cadiados e senhas, mas eu chego lá!

há braços

vivian disse...

Amei este seu texto, amiga. Assino embaixo. E acrescento: não podemos julgar porque somos os únicos responsáveis pelos sentimentos que temos para com os outros. Se temos algum problema com alguém, esse é um problema NOSSO. Está dentro da gente e só a gente pode desmanchá-lo. Ninguém muda ninguém, ou seja, ou nos adaptamos às diferenças dos outros ou não conseguiremos ser felizes.
beijos, Vi.

Gio disse...

Assino em baixo e passo no cartorio...
Aparencia eh uma merda.
E tenho dito

Bruna disse...

Falou tudo!
nossa nunca vi alguém se expressar tão bem!
bjus ótimo findi

Barbz Nardini disse...

Posso te dar um conselho? Se conselho fosse bom, não era de graça.

marcia caixeta disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Natty disse...

Querida Brena...vim te fazer uma visitinha de hora extra..hehe...jah que vc indagou um tema mto curioso no meu blog..
prometo um texto dedicado a vc sobre esse tema no meu próximo post ok?!
volto pra te avisar
há braços doces
em breve: "O que acontece com os casais da ficção depois de 6 meses do "felizes para sempre"

alexandre disse...

Pior que não conhecer as pessoas nem a si e querer se conhecer através das idéias,preceitos e preconceitos de outras pessoas,religiões e daí julgar qualquer um.

Saramar disse...

Conselhos? Creio que só funcionam quando confirmam aquilo que já decidimos fazer.
Em caso contrário, considremos como chatice (risos).

beijos querida e boa semana para você.

Cris disse...

Sabes que tenho uma amiga ( e é a única ) que sabe tudo de mim e nunca dá conselhos e diz que não consegue me julgar??? Pois, então..se eu não tivesse merecido a sorte de tê-la, concordaria em tudo com vc...beijo, linda!!

Roy disse...

Gostei da frase final ;-)

Anônimo disse...

The, esse texto é pra mim?!
Mas agora além de querer eu preciso dos seus concelhos... Digamos que sejam trocas de experiencia, né?! ;)

Karina disse...

Que saudade do seu blog, menina! Ah, mais saudade ainda de papear com vc!

o alquimista disse...

Já tinha saudades de passar por aqui e deparo-me com este fascinante texto...para reter...para reler...

mágico beijo

Deco disse...

Oi Linda

Mais uma vez, adorei o texto !!! Como diz um amigo meu, se conselho fosse bom não dava, vendia caro. Cuidemos então de nossas vidas, de nossas incertezas, de nossos problemas que já não são pouco. Bjinho

J. disse...

Este seu post foi no dia do meu aniversário.

Conselho é algo que pedimos para ficarmos ainda mais confuso com as coisas ... é algo que damos achando quer será melhor ... mas nem sempre é.

Conselho é uma consciência em voz alta.

Bjo

Além do ponto disse...

amiga!
a definição de conselho é ótima!
..dizem que conselho é uma forma de reciclar o passado,pintar as partes velhas e reciclar tudo por mais do que possa valer...
será?
não sei,só sei que desisti de dar conselhos faz muito tempo...e aceito somente conselhos de alguns poucos e bons...
na verdade,só aceitamos algo quando esta aceitação vem de dentro,quando cai a ficha.quando sabemos ser e estar sem pressa,raciocinar com razão e amoção...quando aceitamos o que não podemos modificar..
e assim eu acho que é!
beijão grandeee!!

Fred disse...

Que isso! Nunca vi blog tão comentado. Desse jeito vai acabar virando livro e programa no GNT igual ao Mothern (mothern.blogspot.com).
Coloquei um link pro Até onde vai lá no Gente que existe.
Beijão.

Emanuelle Félix disse...

Olá. Gostei do teu espaço, você escreve bem e parece sincera com as palavras.

Parabéns pelo Blog.

Tenha um bom dia!

Flávia disse...

As pessoas são cheias disso, ou nos pedem conselhos e ficam nos atormentando ou dão palpites sobre a nossa vida em todos os aspectos.

Não gosto disso também.

Beijos e um ótimo fim de semana!

Anônimo disse...

Pior que tudo isso é te perder...

Pensamentos disse...

Ui rs .
Mas sabe Brena vc ta certa mesmo
Sempre que estamos com um problema todos parecem ter a solução
Talvez essa sua nova forma de viver vai ser melhor
Beijokas

Canutinho disse...

Gosto mto de vir aqui pq você reflete um pouco do que se passa na minha vida...
Nesse momento estou tão mal... mas lendo isso... é oq eu penso sabe... chega de julgar as pessoas... e querer dar conselhos, se intrometer em coisas que não cabem respeito...
eu to tão cansada de um monte de coisas... que to até meio sem ter oq dizer... mas gostei muito do q vc escreveu...
bjos moça

Laura Pantaleao disse...

"mulheres que trabalham feito homens"? machista isso não? eu acho um pouco...
sumi daqui e quando volto já vou logo criticando, né? foi mal, é que estou com o espírito um pouco combativo demais hoje.
mas é muito bom estar de volta!
bjs

B R E N A disse...

É, Laura... foi um pouco machista sim, devo assumir...

Fernanda disse...

Ei Brena!!!
Pois é, viu, vc tem razão...a cada cabe a sentença de sua própria vida. Já dizia nossas sábias avós: se conselho fosse bom a gente não dava, vendia!
Bjossssss

XandeLima disse...

Só para variar um ótimo texto.
Lógico que não sei como se sente, nem nos conhecemos não é mesmo?

Mas essa história de ser um livro aberto é mesmo complicada. Se realmente descobrir como "se fechar" me avise, acho que até vou aceitar um conselhosinho.

E só repetindo uma pergunta antiga: onde consegue as imagens para o seu blog?

Abraços.

nancy moises disse...

Querida adorei seu blog , viu obrigada por ter me dado o retorno o conteudo de seus textos são barabros , quero convida -la a participar do destaque em meu blog vc topa?Faça a inscriçaõ , é no selo dourado a esquerda.E posso linkar seu blog junto na sala de links de blogs de meus amigos?
Obrigada
bjs conterranea.
rs

nancy moises disse...

ops showw.. a nemmm me conta eh no Antigo Marista Hall?Do lado da casa de minha mãe to tão carente de mãeee com saudades da minha...
rsrs
bjs ja linkei ok veja la se ficou do seu gosto ...

Camila Simas disse...

ê....reflexão que fiz aqui...


na maioria das vezes, a gente não busca um conselho, mas sim uma constatação

pede-se conselhos mais para tornar o medo real do que buscar a solução para tal...não sei se falei merda agora, mas...ah dane-se. :P

eu demoro a pedir conselhos...

bjs e valeu pela visita no meu blog ultra-desatualizado...kkk

eu sou uma preguiçosa mesmo :P , com o blog...

Anônimo disse...

quem quer conselhos procure um padre e que quer dar conselhos na vida alheia sem pedir ,com certeza é muito incompetente profissionalmente ,sexualmente....