17 julho 2006

AS COISAS QUE A GENTE FAZ COM A GENTE

Por que algumas pessoas jogam o tempo todo umas com as outras? Por que uma cidadã que se diz tão bem resolvida se sabota tanto? E, no dia seguinte, acorda com uma ressaca moral infinita por ter feito tudo errado. Por não ter agido da forma que ela gostaria. Por planejar as coisas ao invés de simplesmente deixar rolar.

Logo ela. A tal cidadã que diz que não tem mais idade pra joguinhos. Essa mesma cidadã que joga o tempo todo. Que diz que fala o que pensa, mas que mede as palavras. Que diz que age por impulso, mas que calcula cada movimento (dela e dos outros). Que faz planos pra noite toda na sua cabeça, pensando que, assim, nada vai dar errado. E dá. Sempre dá.

Então essa cidadã sai com aquele carinha bacana que ela está afim de beijar. Aquele cara que ela já beijou algumas poucas vezes (menos do que ela gostaria). O cidadão a convida pra sair. Busca a cidadã em casa. Eles vão pra balada com mais alguns amigos dele. Só que a cidadã resolve bancar a difícil. E é aí que ela começa a fazer tudo errado. Fazer joguinho. Dar pistas falsas. Fingir que não está interessada. Fingir que só saiu pra se divertir. A cidadã se comporta como uma pessoa que não está afim do cidadão. Bebe. Finge que está ligeiramente bêbada. Conversa com todas as pessoas da noite menos com o cidadão. Encosta na parede mais longe com seu copo de caipi-morango na mão. Assenta no lugar mais afastado. O cidadão não entende muito bem o que está acontecendo. Mas ela entende. Ela calculou friamente como tudo iria acontecer. E ela pensa que deveria agir de forma a não parecer interessada. E é assim que ela se comporta a noite toda. Fria. Distante. Rindo com outras pessoas. Sem trocar uma palavra ou sorriso com quem realmente deveria. E o resultado disso vem exatamente às 2h35 da manhã. O cidadão beija aquela menina bonitinha, fofa e que estava dando mole pra ele há mais de meia hora. Ali. Bem diante dos olhos da cidadã que acompanhava tudo. Perplexa. Sem acreditar no que via. Sem saber pra onde olhar. Tentando disfarçar seu desconforto. Mais uma vez jogando e fingindo não se importar. A cidadã age como se nada tivesse acontecido, reforçando o pensamento do cidadão de que ela realmente não estava interessada e que ela não se importou com o fato de ele ter beijado outra na sua frente. A cidadã vai pra casa se sentindo um lixo. Se sentindo menor do que aquele pedaço de morango em sua caipi-vodka.

E, no dia seguinte, a cidadã mal abre os olhos e lá está ela: a tal ressaca moral. Que não deixa ninguém dormir de manhã. Que fica batendo na cabeça como um martelo bêbado. Que faz a cidadã ter raiva de si mesma. Por se sabotar tanto. Por não se permitir ser ela mesma. Por não se permitir viver livre de regras. Livre do tal “o que as pessoas vão pensar”. Por pensar o tempo todo. Por esquecer que ela é humana e não precisa ser uma super-mulher 24 horas por dia. Por se testar o tempo inteiro. Por achar que ela precisa ser magra, inteligente, linda e sarada pra ser amada (por ela mesma, inclusive).

Ainda bem que é segunda-feira. Dia oficial de começar coisas. Começar um parágrafo novo. Acabar com todas as interrogações e colocar um ponto final. Começar uma nova fase com o coração fechado pra balanço. Desculpe-nos o transtorno, mas a cidadã está em obras por tempo indeterminado. Esperamos que, em breve, ela possa retornar. Livre das regras que criou pra si mesma. Livre das pessoas descartáveis que ocupam seu tempo. Livre dessa mania de querer dar palpite no destino. E presa somente a uma ordem: seguir seu coração.

41 comentários:

Bernardo disse...

Acho que seria alguns sintomas da famosa Depressão Pós Balada (D.P.B.) tão forte e presente hoje em dia (pelo menos por aqui também).

Aninha disse...

Espero que acredito em mudanças, portanto...vamos à elas né DONA BRENA MARIA!
Vai dar tudo certo, vou confiscar os dvds de Carrie Bradshaw e sua turma da sua casa e te fazer pensar um pouco, planejar menos, e VIVER mais!!!
Boa semana, com o pé direito heim!!!
bj

Déborah Tolentino disse...

Êta lelê! O primeiro comentário surpreendeu horrores... O da Aninha foi bem real (aaah dona carrie não fumante...). Mas a verdade, como te falei ontem, é que você é uma ótima paciente, pq já vem com os sintomas e o diagnóstico. Se bobear amiga, já vem até com a prescrição dos remédios né... Esse seu probleminha vc já sabe bem qual é e a soluçao tb. Então, mãos à obra!

Dani Morreale disse...

Essa cidadã tem destino traçado pra felicidade: resultado - AMOR.
Porque ela entende que é louca de verdade, mas que a loucura dela é a própria cura para sanidade; ela sabe as respostas!
Porque ela é exagerada até para lançar a bola, mas enfrenta o jogo e sabe mudar as regras (ou então não joga mais).
Ela é louca intensa, mas o melhor de tudo: ela viveeeeeeee e sente!!!

Ahh, amiga infinito, se permita de uma forma ou de outra, mas viva!

Beijos mil na alma!

vaaaaaaaaaaaaaarrrrr disse...

O mais difícil na verdade é o mais fácil...
Hj em dia tentamos ser tudo o que querem que sejamos.
E ao sermos isso tudo as vezes nos sentimos um nada.
O grande lance é saber que esse nada é tudo pra gente....
Cuidar desse nada começa qdo o preenchemos de nós mesmos.
Ai sím seremos tudo e voltaremos a nos ter por completo.

Grande abraço....

Rebeca disse...

hoje não estou muito bem para dar conselhos ou tentar ajudar...
o que tenho a dizer é: bao sorte!!
todo mundo tem dias de ressaca! (se isso serve como conforto).
beijos

www.nadialopes.blogger.com.br disse...

báaaaaaaa, essa cidadã se boicote, se infelicita, se trava, por que? Orgulho? Acho que saquei, ela tem um medo danado...um super ego desgraçado e congelante...essa moça, que se cuide, por que se continuar assim vai ficar sozinha e amarga, e isso além de não ser gostoso, faz mal pra saúde!
beijo

ps- ás vezes vale a pena, ficar em silêncio, e ir ao fundo do poço, pra testar a mola (o fundo do poço tem mola!)

Gissa disse...

BReNaaaa....
Essa cidadã dá trabalho hein?!
hehehe...
Essas fases de coração em balanço passa... qdo menos esperamos aparece algo q reacende e nos leva novamente a tentar outra vez...
O importante é seguir de cabeça erguida!
Estou com vc, amiga!
E mais uma vez parabéns pelas suas palavras... Sucesso!!!
=] Saudade de ti...

Anônimo disse...

Parabéns pelas palavras, pela compreensão de tudo e pela capacidade de colocar isto de forma tão bacana no 'papel'. beijos,
Luana

Ana disse...

Nossa, menina, ainda bem q hj é segunda feira mesmo!
Conheço uma meliante muito parecida com essa cidadã, essa indivídua que está precisando mesmo é de umas boas palmadas!!!
hahahaha
beijinho, garota! Boa semana!

Anônimo disse...

eu acho que esse cidadão não faz joguinhos...e c vc conhecesse um poquinho mais não iria ter tanta história pra contar. Esse cidadão pelo que sei é direto...

Luiza Lisboa disse...

Socooooooooorroooooooooo...
Tô com uma vontade enorme de bater minha cabeça contra a parede!
Esse trem de seguir a razão quando a genta só quer mesmo seguir o coração faz uma bagunça danada! Quero mesmo é buscar o equilíbrio mas não consigo. Alguém me ajuda?
Me identifiquei d++++ com esse texto. Buáááááááá...
Realmente não sei o que fazer, tô com um medão que tá me deixando louca. Me empresta sua plaquinha de "em obras" ?
Quer um pedaço da minha parede?
Bjim

Gustavo disse...

Ai The Rennis, espero que esse não tenha sido um caso recente, ou pelo menos o que eu tenho acompanhado...
"Sweet ass role" é bom, mas tem limites... take care!
Love you,

Marco Aurélio disse...

Brena

Não entendo como uma apaixonada pelos animais e admiradora dos sorrisos sinceros joga quando luta pelo amor. Quando o assunto é o coração, por que planejar as coisas? Melhor deixar rolar. Se estava afim de ficar com o cara e achava que valia a pena, porque fez joguinho? O pior foi continuar jogando e fingindo não se importar. Só reforçou o pensamento do camarada de que você não estava interessada nele. Você tem falado muito sobre o amor. No post TUDO ERRADO você chegou a dizer “Este não é um texto sobre o amor...” e acabou só falando sobre ele. Melhor “viver o amor” feito o Beto Guedes na Sol de Primavera. Um dos motivos que acho que eu e o amor da minha vida damos tão certo é que nunca jogamos. A não ser quando vamos ao sítio e disputamos uma partida de sinuca. Você tem idade sim para se apaixonar ao contrário do que disse outro dia. Só concordo que não pode achar que pode controlar coisas que não têm controle. Você disse “Nunca me apaixonei por quem eu deveria me apaixonar” esse é um caso clássico onde nosso controle da situação falha.
Feito você terminou, melhor seguir seu coração.

Bjs

Marco Aurélio

Canutinho disse...

Acho que finalmente você acordou.
Nós somos egoístas, falsos, cheios de defeitos, falamos uma coisa e fazemos outra... o ser humano é assim, tem essa natureza, porque ele é um ser pensante.
Mas como ser pensante, ele também pode pensar em qual caminho ele quer pra vida: viver de ilusão, de aparência, de esteriótipos ou ser ele mesmo. Ser feliz. Ser ele em qualquer situação.
A moral que não nos deixa durmir e sonhar, ela mesmo pode nos ajudar a sermos felizes, desde que estejamos concentrados na nossa moral, nossa moral interna, nossa consciência e não na dos outros...
Basta você querer...

Roy disse...

Assim esperamos, para o bem da humanidade. Te encontrei no comentario na casa do Marco Aurelio e te incluo na minha lista de blogs depois desse texto. Tem uma 'cidada' que, mesmo sem querer, lendo, espero que aprenda alguma coisa. Eu sou muito grato - apesar de me sentir patetico tantas e tantas vezes - por ter nascido sem possibilidades de jogar. Odeio o jogo. Mas, faz parte... Pra mim, infelizmente.

super bjx

RF

kuriozza disse...

Sempre que planejo, passo a noite ensaiando os mínimos detalhes..nada dá certo =/

Carol Magalhaes disse...

brenissima, vc me emociona.
Bjo
Carol

Além do ponto disse...

amiga,faz como eu fiz:troca teu coração por um fígado!
aí tudo vai melhorar.fígado se regenera em um mês! corre!!!!!!
beijão e aparece lá no "além do ponto"!

m disse...

Amei seu texto... e sabe q por muito tempo eu tbm vivia me sabotando... Fingia q não amava um cara q era doido por mim, e q é claro q eu amava, mas naum queria dar o braço a torcer,,, No fim o perdi e hj tenho um novo amor... mas só o tenjho pq fiz td diferente daquela vez! bjos

Dani Morreale disse...

AMEIIIIIIIIIIII INFINITO!!!!!!

...Danizita... disse...

Profundo o seu texto...

E pode ter certeza... Faz parte da vida...

Bjs

Déborah Tolentino disse...

Last night????? AMEI INFINITOOOOOOOOOOOOOO... feliz dia do AMIGO dóroteeeeeeeeeeeeee
uhuhuuuhuhuhuhuuh
bjoksssss

§ilvia disse...

Brena Querida,

Seguir o coração não seria a maneira mais sensata de buscar a própria felicidade? Sim. Se permita. Seja feliz.

Beijos.

Cris disse...

OI.. Sou a amiga madura do Roy...rsrsr.Fizeste uma pequena cagadinha, não? Dá para arrumar isso, linda...agora sendo verdadeira.Dê mais uma chance aos dois ( parece letra de música , mas é isso ) . Se não der certo? Paciência! mas tente!!Bj!!!

Marcia Ferraz disse...

Ola !!! UAU !! Adorei seu blog... E esse post em especial...Qualquer semelhanca , é mera coinscidencia.... Sou exatamente como você.... As vezes, da uma vontade de ter outra chance pra voltar atras e tentar acertar nao e?? Pois é, é essa chance que temos todos os dias quando acordamos ! Beijos !

Moita disse...

È assim mesmo, cidadã inteligente reflete e muda.

Brena

Tive uma recaida do meu problema da coluna, torci uma vertebra quando o cavalo caiu comigo, daí a imensa dificuldade de visitar os blogs amigos.

seu texto está irreparável, Parabéns

1 Cheiro

The Rennis disse...

Cade o meu texto?!?!?

Tex Murphy disse...

Bom... fechar pra balanço sempre é uma boa solução...

Bjo!

Anônimo disse...

é... depois reclama...

cilene disse...

dizer o que? as vezes a gente faz tudo errado...mas o negocio e bola pra frente!!

Flávia Sereia disse...

Quero agradecer sua visita.
Hoje não tive tempo de ler todo o post, mas volto outro dia e termino ok?

bjs

Blogue da Magui disse...

Vc perguntou e vou responder: primeiro essa cidada e imatura , crianca e esta enganada como deve ser uma mulher.Esta assistindo muito a novelas da Globo e confundindo a realidade com a fantasia.Segundo , tem muita sorte de ter se livrado de um homem imbecil e mau carater.Terceiro , pode ser que Deus te ame e lhe mandou um sinal para fazer o que fez e ficar livre de um merda.

Natália disse...

Me parece que você sabe bem toda a teoria... Pena que a prática as vezes é um tanto diferente e mais complicado... :S

Beijos

Barbz Nardini disse...

Complicado. Ser a pessoa que vive fora das regras e diz sempre tudo o que pensa também não seria uma forma de jogar? Jogar se achando "fora do jogo", mas se tornando nulo para qualquer sensação que a tire do casulo de sinceridade absoluta e verdade que machuca.

Resumindo: Merda acontece.

Deco disse...

Essa cidadã é um enigma quase indecifrável... Leio, releio, não decifro. Ela é uma mistura que não se define, que se mostra e ao mesmo tempo se esconde. Uma cidadã que tem um coração bonito e um jeito de escrever que encanta qualquer um. Uma cidadã que está cansada de amores falsos, eu sei, mas que precisa apostar no que ela tem de melhor, a doçura. Você não tem mais idade para joguinhos? Não jogue. Deixa os outros jogarem... Se proteja, se garante, mas não deixe o amor passar. Bjinho

Luisa disse...

Amiga...
Amei o texto... Vc soube colocar no papel seu sentimento de uma forma mto expresiva!!!
Já levei mto por seguir meu coração, mas ultimamente tenho feito isso e naum tenho me arrependido!!!
Tô c vc sempre...
saudades das nossas bagunças... fofocas...
beijim***

Marcelo Scotton disse...

O Brasil reprime qualquer tentativa de vivermos o estilo "be yourself". Parabéns pelo texto. Esses textos do seu blog, aliás, são bastante viscerais, muito bom. A propósito, Brena, você é parente do Igor ou Pedro Braz?

Marcelo Scotton disse...

Brena, escrevo no esparro com o Nardini e o Bruno Fernandes. Daí "te achei" comentando lá e vi o sobrenome Braz, daí associei as coisas. Formei com seu irmão e seu primo. Manda um abraço pros dois, são duas figuras nota 10.

Walter Carrilho disse...

Pois é, eu mesmo não entendo as regras do jogo da paquera. Quando a gente está afim, temos que mostrar desinteresse. Quando a gente gosta, temos que disfarçar...acho que os animais vivem de forma mais fácil...rs

Anônimo disse...

best regards, nice info »