23 outubro 2006

A NOSSA LIBERDADE É O QUE NOS FAZ SEGUIR EM FRENTE

Dia desses, coloquei no messenger uma frase da Fernanda Mello que eu gosto muito: “A nossa liberdade é o que nos prende”. Não por nenhuma razão específica. Simplesmente porque acredito que a liberdade pode ser realmente a única coisa que prende duas pessoas que não têm a mínima intenção de se comprometer. Ficantes, como chamamos hoje. Mas, e aí? Se essas pessoas não têm intenção de se comprometer, quando e como vai ser o fim (daquilo que nem começou)?

Você sai de casa. Coloca um scarpin novo. Veste a roupa que mais combina com seu estado de espírito. Estampa na cara seu melhor sorriso. Sua melhor maquiagem. E vai pra melhor festa da cidade. E, toda festa, as mesmas músicas tocando. As mesmas caras te olhando. Os mesmos papos rolando. A mesma boca te beijando. Os mesmos braços te segurando. O mesmo cidadão te desejando. Mas isso, por enquanto, basta. A noite-sem-dia-seguinte tá valendo pra vocês.

Mas, e aí? Até onde vai? Até onde vocês dois podem ir, brincando de usar corpos na madrugada, sem se machucarem? E, se essa liberdade que vocês têm é tão grande assim, porque estão sempre um com o outro? Por que, toda vez que vocês se encontram, vocês colam um no outro? Cadê a porra da liberdade? E a hora que vocês estiverem na mesma festa e um de vocês se interessar por outra pessoa? Cadê, de novo, a porra da liberdade que vocês têm que faria você dizer “tudo bem”?

Não tem nada de “tudo bem”. Você fica tensa. Seu coração dispara. Sua boca seca. Você deseja sumir. Você deseja que o cidadão suma (da sua vida, claro). Você deseja nunca ter estado ali naquela noite. Você se pergunta porque foi mesmo que essa história começou. E quando era pra ter terminado. Só que você pulou essa parte. E por que foi mesmo que você pulou a parte em que você coloca um ponto final nessa história? Ah, é. Não é tão simples assim. Como se encerra um vínculo que não existe? Por que é tão difícil colocar um ponto final? Será que é porque a porra da liberdade prende vocês?

É assim mesmo que você fica. Irritada. Puta. Falando palavrão (cadê os bons modos que a dona Kátia ensinou?). Você se sente no direito de tirar satisfação com o cidadão que não é nada seu. Vocês discutem. Isso mesmo. Você discute com o cidadão que – insisto – não é nada seu. Muita intimidade pra vocês (ah, só uma observação: o conceito de intimidade, hoje, é um pouco diferente. Fazer sexo no elevador com câmera, tudo bem. Discutir sobre o que incomoda... não... muita intimidade). Então, cadê a PORRA da liberdade que faria você dizer “foda-se” nessa hora? Onde, caramba, estava a liberdade quando o cidadão cismou que viu você dar seu telefone pra outro cara e saiu emburrado? Que pseudo-liberdade é essa que te prende e te deixa tão solta? Onde, diabos, estava a merda da liberdade quando você mais precisou dela???

Você não sabe. Não quer saber. Não tem mais paciência pra ficar se perguntando. Pra ficar enchendo os textos de interrogações. Pra fazer seus leitores engolirem tantos palavrões. Os problemas assumem dimensões maiores do que deveriam ter. Se duas pessoas são livres, elas deveriam ser livres pra fazer o que bem entenderem sem se importarem uma com a outra. E por que não é assim? (Não espere uma resposta no final do texto porque eu também não sei). Por que você se importa tanto se, pra ele, tanto faz? Por que você quer alguém que só te quer quando convém? Por que tem tanta interrogação onde deveria ter um ponto de afirmação? Ou um ponto final. Ou um texto novo. Um texto com menos interrogações e mais exclamações. Uma poesia, quem sabe. E, por falar em poesia, não vou discordar de Fê Mello. Apenas coloquei uma nova frase no messenger: “A nossa liberdade é o que nos faz seguir em frente”.

P.S.: A gente fica tristinha, mas acorda no dia seguinte com uma bunda sem celulite e um cartão de crédito sem limite e tudo volta ao normal!

57 comentários:

luísa disse...

Amiga, só você que acorda no dia seguinte com a bunda sem celulite! Fala sério! Por isso que você se recupera bem dessas estórias. kkkk
beijos

Tiago disse...

valeu a pena não ter te interrompido. parabéns, moça. ah... esse lance da liberdade ser o que prende... acho que ouvi na música do jota quest. beijo.

Sarah disse...

Aff!
Que noite foi akela?!
+ no dia seguinte eu tb acordei com uma bunda não tão sem celulite como a sua, + com um cartão de crédito feliz!
auahuahauahuhauhuhuh!
:*

Marco Aurélio disse...

Brena

Segundo Sartre, estamos "condenados à liberdade". Não há limite para nossa liberdade, apenas o fato de que "não somos livres para deixarmos de sermos livres.". Homens e mulheres são livres. Nada os força a fazer o que fazem. Não podemos nos desculpar por nossas ações dizendo que estamos forçados por algo ou movidos pela paixão ou seja lá pelo que for. Já tomei muita cerveja com o Beto Guedes e já conversamos algumas vezes sobre a liberdade. Conhece uma música dele chamada O medo de amar é o medo de se livrer?


Senão vai ai:

“O medo de amar é o medo de ser
livre para o que der e vier
livre para sempre estar
onde o justo estiver

O medo de amar é medo de ter
de todo momento escolher
com acerto e precisão
a melhor direção

O sol levantou mais cedo e quis
em nossa casa fechada entrar - pra ficar

O medo de amar é não arriscar
esperando que façam por nós
o que é nosso dever - recusar o poder

O sol levantou mais cedo e cegou”

Não deixe de ouvi-la. É linda!!

Desculpe-me a intromissão mas acho que você deveria experimentar novos ambientes, pois te vejo queixando-se das mesmas coisas. Acho que talvez as coisas melhorariam.

Dia 12/11 vai ter um Show de um amigo (http://mancheia.blogspot.com/ ) e vários blogueiros amigos estarão lá. Por que não aparece!?

Bjs

fernanda mello disse...

oi linda!!!! seux textos são maravilhosos!!!!! sempre quando postar, me avise por favor... é uma delicia entrar aqui e te ler! gosto muito dessa frase" nossa liberdade é que nos prende" porque quando temos a liberdade de sermos nós mesmas, sem querer ser "outra" para se encaixar nos sonhos de alguem, temos a real possibilidade de vivermos um amor de verdade. e, quando vemos que não dá certo... bom... é como vc disse: nossa LIBERDADE É QUE NOS FAZ SEGUIR EM FRENTE! amei!!!!!!!!!!!!!!!! vc arrasa muito! beijos, parabéns!

Srta. Oliva disse...

Olá garota.
O conceito de liberdade é tão estranho. É um conceito racional demais para explicar ligações emocionais. Pelo menos é assim que eu vejo.
Vc é livre até onde não é mais. E somos nós mesmos que limitamos nossa liberdade.
Vai entender....

Adorei o texto!!
=)
Bjs.

Déborah Tolentino disse...

Que sucesso dorote!
agora vamos ver até onde vai a falta de compromisso de vcs dois... até onde vai a falta de vontade de se comprometerem... até onde vai a ligaçao unica no domingo a noite... até onde vai sua decisão...

* amei a blusa! super ficou perfeita!

the bjossss

Carol disse...

Brena,
Lindoo texto...

Bjooo

Roy Frenkiel disse...

Brena, mais um excelente texto. Estou escrevendo um texto em Ingles pra ver se ganho uma bolsa de estudos em que o tema eh 'Democracia e Liberdade, o que estes termos significam pra voce'. Em meu texto explico que a liberdade utopica nao existe em nivel politico. O cidadao tem determinada liberdade que o da direito de votar democraticamente, mas a maior parte das vezes sua escolha se resume ao melhor entre os piores, ou a melhor opcao entre as ruins. A liberdade do politico, contudo, se resume ao que Russel, filosofo Ingles contemporaneo, disse: 'A vantagem da democracia (para o politico) eh que sempre quem elege eh mais estupido do que quem eh eleito'.

Logo, explico que a liberdade utopica apenas existe no ser individual. O livre arbitrio, discutido filosoficamente desde o inicio do pensamento filosofico. Eu tenho a liberdade de me deixar afetar, ou nao. Eu tenho a liberdade de profanar leis regionais, ou segui-las. Tenho ate mesmo a liberdade de invadir a liberdade do outro, mas neste caso minha liberdade termina e se inicia o abuso. Eu tenho a liberdade de abusar.

Neste caso que voce menciona, as pessoas vivem cada vez mais a fase de optar por nao ouvir. Colocar o som alto, e nao precisar ouvir os proprios pensamentos. Os pensamentos levam a sentimentos. Sentimentos levam a compromissos. Compromisso eh uma resposabilidade e hoje em dia, amiga, ninguem mais sabe pelo que vale a pena ser responsavel. Esqueceram-se da vida, e a espontaneidade desejada vai pro saco. Sei la, amiga. Nao temos mesmo direitod e exigir que ninguem sinta, mas ainda sou antiquado e acredito que tu es eternamente responsavel pelo que cativas.

beijos

Roy

Deco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Gissa disse...

Arrasou!!! Adorei o texto!
Concordo com a Sarah... Q noite foi akela???
E agora te pergunto, q texto é esse?
Bacana demais!
As vezes tenho essa mesma dúvida ai... sobre a bendita liberdade!
Amiga, orgulho da sua facilidade de expressão nesses textos, sempre arrasando!

Sucesso pra vc!
Bjuss!

Roberta Vasconcelos disse...

Excelente, ótimo!

Juraciara disse...

Muito bom o texto, apenas não concordo (e acredito que você também não) com o "P.S", pois a bunda sem celulite e o cartão de crédito ilimitado não nos traz de volta a alma que perdemos em um mundo com "tamanha liberdade"!

Grande abraço!

B R E N A disse...

Verdade, Juraciara! Não mesmo...
Mas preciso colocar essas observações alto astral pra dar uma leveza ao texto... rs
Beijos

a superlativa disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhh!!! o blogger comeu meu comentário... mas vamos lá novamente...

onde é que a gente enfia essa tal liberdade??? onde ela se mete quando a gente precisa dela???
quem foi que inventou esse novo jeito de se relacionar???

eu estou vivendo uma dessas situações... não somos namorados... mas estamos sempre juntos... nos falamos por telefone... trocamos e-mails, sms... não ficamos com outras pessoas...
mas somos livres...
some isto td que vc falou ao fato
de eu estar me relacionando com um francês... outros costumes, outras idéias... outra cultura...
tem horas que eu me pergunto onde eu quero chegar com isto td...

beijo!
(espero q o blogger não coma meu comenta agora!)

Moita disse...

Brena

Texto muito interessante. Essa liberdade que nos prende é também a prisão que nos solta. Depende de que lado do muro que a gente quer ta.

É... Achou graça? Riu? Mas a questão, minha amiga (por enquanto!) É que sempre haverá um muro. E a gente não poderá ficar eternamente em cima dele. Uma hora tem-se que descê-lo:
Ou pra dentro ou pra fora.

1 cheiro no cangote.

PS. Estou melhor de saúde, pero non mucho. E por isso é que não consigo visitar os amigos na Freqüência que eu desejo.
Desculpe, já disse isso pra muita gente, hoje. ( sobre o último parágrafo, é claro.

Mas se por ventura quiser cair pra fora; caia nos meus braços.
Assim você não quebra nada.

2 cheiros no cangote.
.

Moita disse...

Brena

Ia esquecendo, Essa boazuda da foto é voce?

mais um cheiro

The Rennis disse...

The adorei o texto! Muito bom mesmo...
Parabens!

Wev's disse...

Liberdade..e agora..somos ou n somos livres..Ate que confunde..mas n confunde...
Mas pera ai..lá no seu texto vc deixa bem claro um monte de coisa...é né... Liberdade...

Acho que a liberdade não anda sozinha não.. ela anda com o com a cumplicidade com o carinho e principalmente com o respeito...

Ou posso simplesmente pensar que Liberdade é um bairro paulista.. e ponto final...

Rebeca disse...

texto perfeito..vc tem razão em cada palavra e em cada pontuação!
lindo, e bem real!
bjoO

pam disse...

Nem me fale... to praticamente vivendo algo assim agora. Aiii, que agonia!

E... cartão de crédito sem limite? Aonde eu encontro? :)

B R E N A disse...

O cartão de crédito sem limite é da conta conjunta com a minha mãe! kkkk
:P

Lia Noronha disse...

Brena: td maravilhoso por aqui..obrigada pela visita ao meu Cotidiano...se é amiga da Saramar..é minha tbém,com certeza!
Bjus mil

Você sabe, nos falamos agora no MSN! disse...

éé loraaaa
você como sempre escrevendo textos que me fazem viajar, as vezes me vejo dentro destes textos, as vezes imagino voce passando por tudo isso, e as vezes até mesmo quem sabe eu e você? juntos nessas loucuras da vida, não é mesmo? rss

o importante é que o cartao de credito está sem limites e a bunda sem celulites, e como né? totalmente sem celulites ... sem explicação!

adorei mais este texto, você é demais, e acho que é por isso que tenho por voce um dos carinhos mais carinhosos do mundo ....

beijos lora linda, eu te adoroooo muito!

Bruna disse...

parece até q vc ta conversando comigo!! suas palavras são encantadoras!!
e esse assunto foi por mim discutido a alguns dias atrás com as minhas amigas, e, no fim a gnt concluiu q não dá pra viver sem esses momentos de "liberdade". quer prisão maior q essa?
bjss queridaaa

Cris disse...

Breninha.. (olha a intimidade !!) Não acredito na sinceridade do teu PS..acho que foi só um toque , um acabamento artístico..rsrsr.De resto, é isso aí, embora eu seja de outra geração nada ficante, mas não menos angustiante, pois existia o tal do jogo...BJ! AH! Veja lá no meu espaço um gato lindo ( quase sem liberdade!! ) rsrsr Bj de novo!!!

Momoberry disse...

ai... cartão de crédito sem limites é meu sonho...
Mas é um problema, como vou seguir em frente endividada?
é melhor acordar conturbada mesmo

leonardo félix de souza disse...

The renéssss vc disse tudo.... É verdade mesmo agente não sabe mesmo oq é liberdade, pois agente ta sempre preso a alguem , ou preso a alguma coisa... cad~e essa ´´PORRA´´ de liberdade !!!! É complicado mesmo !!!!

Te amo infinito the renéssss....
Beijosssssssssss

Marco Aurélio disse...

Brena

Como sei que você é uma pessoa que entende de estética, gostaria da sua opinião na postagem

http://profcorelio.blogspot.com/2006/10/foto-nova.html

Bjs

eduardo disse...

cronica que faz refletir sobre liberdade bem interessante.

cilene disse...

esse negocio de apenas ficar e bom para quem nao esta nem ai ...nao esta apaixonado..etc

o alquimista disse...

Olá Brena, não serás mais uma! Mas sim uma pessoa que quero ter a honra de partilhar de forma gostosa as coisas que faço e naturalmente lêr as tuas tentando saber a bonita pessoa que és...aquí voltarei pois adorei o teu espaço...


Doce e terno beijo

cynthia disse...

olá!
eu nao sei o que está acontecendo no blog, tem lugar que o texto fica todo la em baixo, no meu computador funciona perfeitamente e ninguem sabe como fazer... snif...
mas não some não.
beijinhos

Emanuelle Félix disse...

Essa tal de 'liberdade' não nos leva a lugar algum, não nos traz nada duradouro apenas alegrias momentaneas... Pessoas que dizem gostar de ser livres, na verdade tem medo de viver algo intenso, de se entregar, de amar!!!


Bom final de semana!

Feio disse...

Eu escolhei quais pontos de minha liberdade abdicar...
tem funcionado... liberdade vigiada nem sempre é mau negócio
Aliás, algo contra forró? Também danço outros estilos...

Silvinha disse...

Perfeitosa, onde arruma essa bunda sem celulite e esse cartão de crédito perfeito hein?
bjos

SURREAL MENTE disse...

A liberdade verdadeira existe em um só lugar:
A mente humana!!!!
Bjusssssssss adorei o texto

Garota Cafeína disse...

nem me fale...! dureza total! desculpa a demora pra responder seu comentário ^^ hehehehhe


eu voto nele pq tenho meus motivos e apesar de tudo o que aconteceu, eu gostei do governo dele. pelo menos, toda a podridão está vindo à tona, ao contrário de outros governos, em que tudo é abafado e engavetado... isso o povo não lembra... falam tão mal do lula, mas elegeram o maluf, o palocci, o COLLOR...! fala sério, né???

bjão, moça!

Luiza Lisboa disse...

Opa! Demorei pra comentar devido a um problema no meu computador de personalidade própria mas tô aqui!
Ufa, deixa eu respirar. Tô de TPM, quando tô de TPM eu fico super sensível e acabei de me fazer essas perguntas antes de ler esse texto! Quando eu falo que vc é Mãe Diná, é verdade!
Xô te contar, tô num rolo! Uhuhuhu...
Uhuhuhu nada! Acabei de comentar com uma amiga que tô sempre tentando ter um super auto conhecimento, uma hiper segurança, tenho um medo danado de abrir meu coração e sofrer e... derrepente aparece um cidadão e me tira do ar, um ficante que tô com um medo danado de perder!
Cadê minha liberdade?
Que horas vai terminar e como vai terminar? Amei essas perguntas, mais uma vez vc arrasou amiga!
Tô com saudade de vc!
Tô sensível hojeeeeee...
Bjooooooooos
Depois me manda a conta da terapia, faço de vc psicóloga né?

Helena Oliveira disse...

Adorei!!!
Principalmente o final.
Adoro aqui.
:)

luma disse...

Vivemos pra encontrar a felicidade e esse já é um bom motivo!
Beijus

marcia disse...

Brena, numa boa, você quer ser minha psicanalista???
Márcia

Mi disse...

Ai Brena, sem comentários...
A #$#$%$!#@#! do meu rolo eterno me ligou ontem e conseguiu estragar minha noite. Me explica: ele não ia na festa, mas ligou p saber se eu tava lá. Toma no cu, saco. E eu achando que tinha conseguido colocar o tal ponto final... dureza!
Bjos

Aninha disse...

Vamo que vamo...esticando a corda...uma hora dá o click.
Simples assim.
( vai lá q tem texto novo)!
Beijoooooooooooooo

disse...

Quando a vontade de ficar junto, passa a ser maior que a vontade de simplesmente "curtir", é que tem algo no ar e que precisa ser conversado, antes q realmente se machuque. Tome cuidado, não deixe ninguém lhe machucar, bjos

Canutinho disse...

Eu já me perguntei isso antes... por isso que agora eu abri mão dessa coisa de ficar com alguém sempre. Não quero mais isso. Me livrei de um agora simplesmente pra sentir a minha liberdade, aquela vontade louca de dar a louca e surtar geral sem me preocupar com ninguém enchendo o meu saco. Foi o que eu postei no meu fotolog outro dia: acabaram-se as dúvidas, agora irei atrás de certezas... a certeza de que eu tenho que me amar, me valorizar e não tolerar qualquer tipo de situação, simplesmente pra não ficar sozinha. Eu sei e irei me amar, sozinha. Eu comigo mesma.

Ps: adoraria acordar com a bunda sem celulite, mas principalmente com um cartão de crédito sem limites!! Seria MARAVILHOSO!! Mas estou trabalhando pra isso...

Postarei mais vezes no meu blog sim, pode ter certeza!!

Beijo

déco disse...

hehe, muito bom, gostei

um beijo

Dany disse...

Nãé só vc que tem Pânico do nosso presidente não amiga....mas... estamos num país democrático que ao menos sabe o que é democracia.
Obrigada pela visita no blog.
Bju grande

Daniela Mann disse...

Brena, seus posts estão arrebentando! Parabéns!
Beijinhos

Walter Carrilho disse...

"cadê a porra da liberdade"?Pois é, também andei procurando. Ouvi falar que estava passeando com alguém em Miami...

Marco Aurélio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Nossa adorei...
A gente assina o contrato mas nao aceita as clausulas,
relações abertas sao assim...
bjuuus

Fred disse...

oii e ai blz? castelofred@hotmail.com

Dani disse...

Brena,
Você não me conhece, mas estava pesquisando sobre " A liberdade que nos prende" e achei o seu texto. O mínimo que posso dizer é... FANTÁSTICO!!! É difícil entender a liberdade quando se tem sentimentos envolvidos. Acredito no livre arbítrio, mas também acredito que liberdade não é falta de compromisso. Acredito em liberdade baseada no respeito e na confiança, senão vira bagunça! Estou vivendo um momento confuso, complicado... talvez muito similar ao que você relata, mas sempre me pergunto até quando??? até quando vou conseguir administrar isso tudo dentro de mim? Afinal de contas, somos humanos, e temos um coração que pulsa e que, infelizmente, não atende aos nossos pedidos!
Parábéns pelo texto!!!

Mayara disse...

Nooosssa, passei as últimas três madrugadas no seu blog! A-do-rei! definitivamente! Voc escreve mto bem e faz com que cada texto seja verdadeiro o suficiente pra encaixar na minha vida!Eu também escrevo, é como uma válvula de escape, não sei se se sente assim tbm!
Bom, espero um retorno seu. E como já li que voc gosta de retornar os comentários,responda para este e-mail :mayarafernanda_09@hotmail.com

Obrigada

Priscila Andrade disse...

Oii Brena, sabe que quando li esse texto, tomei um baita susto. Sim, porque ele descreve com perfeição a minha estória. Parece que está narrando o que eu vivi. E sim, chega um tempo que não dá mais. ou vocÊ sai fora e segue em frente, ou continua, e sofre.

você é uma queridíssima ;)


Priscila Andrade

Brena Braz disse...

Priscila, obrigada!!!

Esse texto é de 2006!

Beijos.